Tecnologia na sala de aula: a prática sistêmica da adoção – caminhos e descaminhos


Marcos Telles, Nivaldo Marcusso e Paula de Waal

A realidade do chão de classe mostra que não é fácil introduzir tecnologia na sala de aula para melhoria do ensino e da aprendizagem. Trata-se de um processo de adoção da inovação com caráter sistêmico que exige a consideração simultânea de vários fatores interligados como objetivos de aprendizagem, alinhamento com currículo, opções pedagógicas, estratégias de gestão, infraestrutura tecnológica e muitos mais, o que explica tanto o insucesso de vários projetos quanto o lento ritmo de adoção que presenciamos. Este livro busca apoiar o leitor envolvido nessa difícil tarefa apresentando e discutindo caminhos que podem levar ao sucesso nessa área.

O ponto de partida, aqui, é considerar a escola como um sistema complexo e analisá-la em termos de seus elementos e suas interrelações; isso permite identificar os papéis de gestores, coordenadores, professores e outros no processo de adoção e as condições requeridas para que esses papéis sejam desempenhados com bons resultados. Para isso, o livro apresenta modelos sistêmicos de análise e casos tirados de experiências reais; baseados neles, o leitor poderá definir com clareza o problema ou situação-problema com que está envolvido e escolher seus próprios caminhos de ação.

Em particular, três pontos importantes do percurso de adoção recebem atenção especial: o plano diretor de tecnologia educacional, os critérios de adoção e os projetos-piloto: a existência de um plano diretor permite conviver com o estado de mudança permanente da tecnologia, evitar modismos e manter o foco no ensino e na aprendizagem; a definição de critérios de adoção a partir de estratégias gerais explícitas leva a escolhas bem fundamentadas e articuladas, reduzindo o risco de casuismos; projeto-piloto é coisa séria que precisa ser desenhada com extremo cuidado para ter valor e apresentar resultados mais objetivos que os tão frequentes “os alunos gostariam muito e ficaram muito motivados como a experiência”. Destaque é dado à adoção de um-computador-por-aluno e de lousas digitais por serem, hoje, situações emblemáticas nas escolas.

O livro tem caráter prático mais revela grande respeito pelos conceitos que justificam essa prática; por isso, ele valoriza a ideia de que uma prática sem conceitos é cega e um conceito sem prática é inútil.

Comente!