Capa

Para mudar amanhã, é preciso começar agora

Mais de 12 mil pessoas reunidas em prol de respostas e debates, gerados a partir da pergunta: “a escola do futuro chegou”?
Esse questionamento foi o grande norte da 20ª Educar/Educador, realizada de 22 a 25 de maio, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo (SP). Educadores de todas as regiões brasileiras, e também de outros países, participaram de discussões com 150 palestrantes nacionais e internacionais, além de conferir uma ampla feira, com mais de 200 empresas expositoras de produtos e serviços para o segmento educacional.

Considerado o maior evento de educação da América Latina, a Educar/Educador se propôs motivar a troca de experiências, de conhecimento e de opiniões sobre o conceito de Educação 3.0.
Este termo gera muitas controvérsias, mas, ao mesmo tempo, vem servindo como um forte impulso para a prática de atividades pedagógicas inovadoras e desafiadoras. Esta efervescência tomou conta dos auditórios e dos corredores do evento. A programação levantou temas de interesse desde a Educação Infantil e Séries Iniciais, Ensino Fundamental e Médio, até a Educação Profissional, Ensino Superior, Inclusão e muito mais. As palestras, talk shows, painéis e mesas de debate elucidaram muitas inquietações, mas também impulsionaram novos questionamentos. Por outro lado, os participantes tiveram a oportunidade de associar teoria e prática, ali mesmo, no próprio local do evento. Tudo isso proporcionado pela feira, que trouxe as principais novidades tecnológicas para o universo da educação.

Pela sua importância, abrangência e impacto para o segmento, a Reportagem Especial desta edição da Revista Aprendizagem traz a cobertura da Educar/Educador, com depoimentos de palestrantes, expositores, secretários de educação e mantenedores de escolas, bem como fotos e um balanço geral do evento. O objetivo é que você, leitor, possa utilizar este material no seu dia a dia escolar, trocando com seus colegas as principais experiências deste evento. Mesmo que você não tenha marcado presença, as falas dos palestrantes, as novidades da feira e os vídeos indicados nesta matéria poderão contribuir como uma porta de entrada para a busca contínua da qualificação profissional.

 

Expediente

Edição maio/junho – 2013

 

Diretores:

Marcos Muniz Melo
Luciana de Andrade Ribeiro Melo

 

Capa:

Franciele Braga

 

Diagramação:

Fernanda Lianna Will

 

Editora Melo

Publicidade

Endereço: Rua Rolândia, 1281

Pinhais/PR. CEP 83325-310

Tel: 41 3033-8100

Email: editoramelo@editoramelo.com.br

 

 

Colaboraram nesta edição

Adriana Gandin
Alexander Baer
Alexandre Camilo
Ariana Cosme
Brisa Teixeira
Celso Antunes
Dirceu Moreira
Eduardo Chaves
Eduardo Shinyashiki
Eliana Ferreira Rosa
Fernanda Carone
Flávio Tófani
Francisco Aparecido Cordão
Geni Toffoli
Gustavo Melo
Ingrid Strelow
Irmã Alcilene Fernandes
Jane Patricia Haddad
Jefferson Leonardo
Jô Furlan
João Alberto Rodrigues de Souza
Jorge Braz
Jossélia Fontoura
Luciano Alves Meira
Luciene R. Paulino Tognetta
Marcelo Crespo
Marcos Melo
Mario Sérgio Cortella
Mark Shashoua
Marta Pires Relvas
Patricia Melo
Renata Bove
Ricardo Lamas
Ricardo Lima
Rui Trindade
Sandra Bozza
Simone de Oliveira Leitão
Simone Mertz Ghizi
Thereza Penna Firme
Thiago Chaer
Wagner Bernardo


Fale Conosco:

 

Releases, comentários sobre conteúdo editorial, sugestões e críticas para a seção CARTA DO LEITOR;

Depoimentos, relatos para a seção ESTÁ DANDO CERTO;

Perguntas para a seção GOSTARIA DE SABER.

 

Tel: 41 3033-8100

Email: revista@revistaaprendizagem.com.br

Cartas: Rua Rolândia, 1281

Pinhais/PR. – CEP 83325-310

Sumário

Editorial


Caro Leitor

Em maio, São Paulo recebeu o maior evento de educação da América Latina – a 20ª Educar/Educador. Foram mais de 12 mil pessoas reunidas em 4 dias de evento, além de 150 palestrantes nacionais e internacionais e cerca de 200 expositores, do Brasil e do exterior, mostrando o que existe de mais atual em produtos e serviços para o segmento. Assim, essa edição chegou ao seu último minuto com aquela sensação de “quero mais”, aumentando a expectativa dos educadores para a edição do próximo ano. Por isso, a Revista Aprendizagem decidiu produzir um segundo número especial sobre a Educar, colaborando para perpetuar o sentimento de que a essência desse importante evento continua além do momento de sua realização, pois pode se estender em forma de artigos, reportagens, entrevistas, depoimentos, vídeos, fotos e muito mais.

Uma das grandes novidades anunciada durante o evento, e assunto explorado nesta edição, foi a aquisição da Educar pela empresa britânica i2iEventsGroup. Você poderá conferir os detalhes sobre essa parceria, firmada com a Futuro Eventos (que continua à frente da gestão e da organização do empreendimento), e as perspectivas para os próximos anos na Entrevista Especial, realizada com Mark Shashoua, CEO da i2i, e com Marcos Melo, diretor da Futuro Eventos.
Já na Reportagem de Capa, trouxemos depoimentos de pessoas que tiveram a oportunidade de participar do encontro, um balanço geral com números, fotos e resultados de mídia espontânea, além de surpresas para 2014, como o Pavilhão Bett, exclusivo para empresas voltadas à tecnologia educacional.

Convidamos também especialistas para publicar artigos com foco no tema central do evento: Educação 3.0. Nomes como Thereza Penna Firme, Francisco Cordão, Ariana Cosme, Rui Trindade, Thiago Chaer, Jane Haddad e muitos outros deram a sua contribuição, fazendo toda a diferença para a qualidade desta edição.

 

Desejamos a todos uma ótima leitura! 

Patrícia Melo

Editora

Gostaria de  Saber


Com o advento das tecnologias na educação e fácil acesso às informações, quais cuidados o educador deve tomar para um melhor aproveitamento de recursos na aprendizagem dos alunos?


Marcos Antônio Freitas – Rio de Janeiro (RJ)

Educar sempre foi dever da família, especialmente dos pais. Todavia, atualmente, dado ao inesgotável fluxo de informações e inovações tecnológicas, educar tornou-se muito mais complexo, difícil. Hoje, não só é preciso ter cuidado com o mau uso da internet, mas também de todas as suas ferramentas, como os instant messengers, os blogs e redes sociais. Conhecer os problemas advindos do mau uso da tecnologia e saber manejar as responsabilidades é essencial para evitar disseminação de problemas que poderiam ser contidos. É preciso promover a educação digital.

E, educar digitalmente não pode se resumir a ensinar o uso, na prática, da tecnologia, como o envio de uma mensagem de texto pelo aparelho celular ou de se fazer uma vídeochamada entre computadores. É preparar as pessoas para que possam, diante da fluência de informações e da enxurrada de novos aparelhos eletrônicos, atuar adequadamente, permeadas pela ética e pelas normas jurídicas.

Importa que pessoas digitalmente educadas não sejam afetadas pelo mau uso da tecnologia. Situações nas quais são criadas comunidades em redes sociais (Facebook, Twitter, por exemplo) para manifestar seu desgosto por um professor ou colega podem facilmente ser vinculadas a crime contra a honra, além das consequências civis, como a obrigação de indenização por dano moral. Isso sem se falar nas possíveis punições no âmbito escolar. O mesmo se diga para a “moda” do momento: adolescentes tirando fotos em poses sensuais ou até mesmo nus as quais são divulgadas por meio de mensagens de texto, inclusive para sites na web.

Eis as razões principais para promover debates sobre a conscientização quanto ao uso da internet e tecnologia nos ambientes escolares.

 

Marcelo Crespo

Advogado, Mestre e doutorando pela USP; educador digital, conscientizando quanto ao uso da tecnologia em ambientes familiares, escolares e corporativos; professor em cursos de graduação e pós-graduação; especialista em crimes informáticos e segurança da informação.

contato@educadordigital.com.br